A Espondilite Anquilosante e as dúvidas…

A Espondilite Anquilosante é uma doença inflamatória crónica que afecta principalmente as articulações da coluna, causando limitações na mobilidade. Aparece como uma patologia isolada, contudo pode estar associada a doenças como a psoríase ou a doenças inflamatórias intestinais. É importante perceber que existem alimentos com potencial inflamatório, que fazem aumentar a proteína C-reactiva (indicador de inflamação) e que por isso devem ser banidos do diário alimentar. Neste sentido a alimentação é fulcral! Boas escolhas alimentares: alimentos anti-inflamatórios – fibras e antioxidantes, proteínas de alto valor biológico, gorduras ricas em W3 e hidratos de carbono de absorção lenta. O índice glicémico dos alimentos deve ser baixo bem como as cargas glicémicas, pois é muito importantes evitar a subida da insulina, que quando aumentada pode causar inflamação nas articulações. As fibras são encontradas nos legumes (brócolos, beringela, cebola e alho) e nas frutas (cerejas, maçãs, peras, morangos, framboesas, amoras). As proteínas de alto valor biológico (peixes, ovos e leguminosas). As gorduras saudáveis são o azeite, os frutos secos, a pera abacate e a gordura do peixe (atum, bacalhau, cavala). Os hidratos de carbono a preferir estão presentes na batata-doce, na quinoa, no arroz integral e no pão escuro sem glúten. Os iogurtes como o kefir são os recomendados, pois os probióticos melhoram a microbiota e evitam o processo de inflamação intestinal. Em termos de suplementação o W3 e a vitamina D, são uma mais-valia. Alimentos que deve ter cuidado no consumo: as manteigas; os queijos; as carnes – quando consumir preferir bifes do lombo, peito de frango e costeletas do lombo do porco; eliminar as gorduras trans (existentes nas bolachas) e a gordura hidrogenada (existente no bacon). Deve-se evitar o álcool, seja que bebida for, inclusive o vinho tinto. Os lácteos, o amido e o trigo podem causar situações de intolerância alimentar e outros distúrbios metabólicos, por isso devem ser minimizados os consumos de leites, iogurtes, batata branca e pães que sejam constituídos com farinha de trigo, de cevada e de centeio, por terem glúten. A Actividade física é um dos pilares da manutenção e regressão das complicações desta patologia, por isso é recomendado a prática de exercícios que envolvam a extensão da região dorsal, bem como exercícios de mobilização dos ombros e ancas. Por isso a natação, a musculação adaptada e os pilates são os exercícios mais adequados.

Deixe uma resposta