Palestra “Alimentação para Actividade Fisica”

A atividade física regular é importante, mas saber escolher o que se deve ou não comer quando se faz exercício é fundamental. Seja uma caminhada ao final do dia ou uma ida ao ginásio, o treino deve começar sempre na refeição anterior e terminar na refeição seguinte. Se queres praticar desporto e obter os melhores resultados, vem desmistificar o impacto que a alimentação e a nutrição têm no teu desempenho.

Desde cedo, as crianças devem ser estimuladas para uma vida fisicamente activa, além da atividade física na escola. Pais e filhos devem fazer exercício físico regularmente e sempre que possível ao ar livre.

A atividade física pode ser classificada por níveis, de acordo com a sua frequência. Assim, se um indivíduo faz atividade física 2 vezes por semana é considerada atividade leve, se faz 3 a 4 vezes por semana é moderada e mais de 5 vezes por semana é já considerada elevada ou intensa. Segundo a Organização Mundial de Saúde, a atividade física deve ser de intensidade moderada a vigorosa, com uma duração de 60 minutos e praticada diariamente.

Um atleta tem necessidades nutricionais acrescidas, pelo que o enquadramento das refeições antes, durante e pós treino é fulcral para o bom desempenho desportivo. Por outro lado, é também indispensável averiguar a suplementação que possa ser recomendada tendo em conta as necessidades nutricionais adequadas a cada indivíduo. Além disso, ainda um acompanhamento bioquímico permite antecipadamente prevenir carências nutricionais que possam pôr em causa a saúde do indivíduo.

As análises ao sangue são um método fácil para estudar o comportamento metabólico e fisiológico dos atletas. Ter em conta que muitas vezes perante valores normais de referência do laboratório, poderá haver indícios alterados nos valores de normalidade que já são indicadores de situações que devem ser prevenidas.

Na comunidade, a população com maior sensibilidade para uma monitorização da composição corporal aliada a uma alimentação saudável são os atletas amadores e profissionais. Mas quando se pensa em fazer desporto devemos ter em consideração que a atividade física tem 3 fases: a alimentação pré-treino, o treino e a alimentação pós-treino.

Para uma boa alimentação antes do treino, uma hora e meia antes, deve fazer um consumo de alimentos ricos em hidratos de carbono complexos (ex: pão de centeio) e uma fruta rica em vitamina C (ex: kiwi ou laranja). Caso só consiga fazer a refeição imediatamente antes do treino, no máximo em 15 minutos, deverá ingerir um alimento rico em hidratos de carbono (ex: banana).

A alimentação após o treino, até 2 horas depois, deverá ser rica em hidratos de carbono complexos (ex: esparguete), proteínas (ex: frango), antioxidantes (ex: legumes e vegetais) e uma fruta mais sumarenta e doce (ex: manga).

Outra questão importante se coloca para desportistas que treinam de manhã. Devem ou não tomar o pequeno-almoço antes do treino? E a resposta é claramente afirmativa. O pequeno-almoço é a refeição principal do dia, porque se passou por um período longo de jejum nocturno e é imperativo evitar hipoglicemias, repor o glicogénio hepático e muscular. É importante fornecer energia para o organismo funcionar correctamente e prevenir lesões músculo-articulares.

Em suma, os resultados obtidos com a prática da actividade física têm um peso de 20%, correspondendo os restantes 80% a uma correcta alimentação e nutrição

 

Deixe uma resposta